Páginas

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Game Estilo GTA Que Ensinam a Matar Cristãos e Judeus




 O departamento de marketing do Estado Islâmico é forte.. e ainda tem gente que acha que este grupo jihadista não é cria da CIA... além de lançarem materiais como camisetas, bonés, canecas, e até lançarem um filme, agora os "nerds" do EI lançam game assassino usando a plataforma do já conhecido e proibido GTA.

A organização terrorista Estado Islâmico (EI) anunciou a criação de um vídeo game ao estilo Grand Theft Auto, onde os jogadores podem participar da Jihad contra forças americanas e iraquianas.

O EI vem usando as redes sociais com sucesso para divulgar seus ideais e atrair jovens para serem voluntários nos conflitos no Oriente Médio. Esse game é apenas mais uma de suas técnicas de recrutamento. Até o momento, foi divulgado um trailer do jogo cujo nome é “Chamas da Guerra”. O vídeo de apresentação foi postado no Youtube e teve mais de 150 mil visitas em menos de uma semana.



Produzido pela Al Hayat Media Center, pode-se ver a simulação de combate com soldados americanos e iraquianos, além de uma série de explosões. Seu propósito seria estimular a “guerra santa”, incluindo a morte de cristãos e judeus. O EI afirma que o jogo foi concebido para “levantar o moral dos mujahedin e ensinar crianças e jovens a lutar contra o Ocidente e estimular o terror nos corações daqueles que se opõem ao Estado Islâmico”.

O jogo mostraria ainda as táticas militares da organização. Toda vez que um inimigo é morto, ouve-se “Allahu Akbar”, que significa “Deus é grande”. Em uma das últimas cenas, um atirador dispara na cabeça de um inimigo enquanto ele se ajoelha para cuidar de um companheiro ferido. As cenas remetem à crueldade pela qual é conhecida a organização terrorista.

Obviamente, o EI aparece vencendo todas as batalhas. Segundo as primeiras informações, o jogo poderá ser baixado gratuitamente, mas ainda não há uma data para o lançamento oficial.

Aos que acreditam que possa ser “apenas um jogo”, Jay Caspian Kang do The New Yorker escreve que durante a última década, o Exército dos EUA usou um videogame multiplayer online chamado “Exército dos Estados Unidos” como uma técnica de recrutamento. Segundo o jornalista, de fato houve um aumento no alistamento entre os jovens que o jogaram. Com informações de Christian Post

Via: http://noticias.gospelprime.com.br/