Páginas

sábado, 23 de agosto de 2014

A mentira sobre o implante do chip da besta espalhado pelas redes sociais

Um vídeo que está se espalhando pelas redes sociais mostra que o implante do Chip da Besta já está sendo feito na mão dos humanos nos Estados Unidos! Será verdade?

O filme, de poucos minutos de duração, mostra um homem implantando um tipo de dispositivo minusculo na mão de um rapaz. Em uma operação ao ar livre, o homem veste luvas pretas, passa um tipo de antisséptico na mão do paciente e lhe injeta um microchip com a ajuda de uma seringa!
Chip é obrigatório nos Estados Unidos! Será? (foto: Reprodução/Facebook)
Chip é obrigatório nos Estados Unidos! Será? (foto: Reprodução/Facebook)

Toda a ação foi filmada e todos os presentes comemoram ao final do implante.
O vídeo, de acordo com o texto que o acompanha, afirma que o implante do microchip já está sendo obrigatório nos Estados Unidos e, em breve, o mundo inteiro terá que se submeter à tal cirurgia.

Será que isso é verdade?


Verdadeiro ou falso?

Esse filminho apareceu no facebook na primeira semana de agosto de 2014 e tem gerado muita discussão sobre o que parece ser uma imposição do Governo Norte-americano sobre seu povo. A partir de agora, todos teriam que usar um chip implantado sob a pele, que funcionaria como um cartão de crédito e todas as compras só poderiam ser feitas através dele. Isso fez com que muitos comparassem o diminuto equipamento à Marca da Besta mencionada na Bíblia.

Uma das publicações desse vídeo no Facebook, por exemplo, alcançou mais de 58.000 compartilhamentos, além de mais de 2.000 curtidas. Os milhares de comentários estavam repletos de mensagens indignadas sobre a obrigatoriedade do uso do tal chip subcutaneo imposto pelo governo.

Acontece que o vídeo é real, mas não tem nada a ver com a Marca da Besta ou com alguma nova lei imposta pelo governo dos Estados Unidos. Trata-se de uma demonstração do invento de um jovem empresario e amante da tecnologia!

O vídeo que está circulando pelo Facebook como sendo uma ação imposta pelo governo dos EUA em agosto de 2014 é, na verdade, de 2013 e o homem que aparece usando luvas pretas é Amal Graafstra, fundador da Dangerous Things – empresa que desenvolve soluções em RFID e microchips.

Amal e sua equipe criam aparelhos diminutos que podem ser implantados sob a pele e servem para diversos propósitos como, por exemplo, localizador, cartão de crédito ou chave (o portador do chip poderia abrir a porta de sua casa apenas colocando a mão na maçaneta).

O modelo “XM1”, à venda no site de Amal por U$39, se comunica com celulares que possuem a tecnologia NFC.
Chip "XM1", à venda no site de Gamal se comunica com celulares! (foto: Divulgação)
Chip “XM1″, à venda no site de Gamal se comunica com celulares! (foto: Divulgação)
Em seu canal no YouTube, Graafstra reúne uma série de vídeos de testes feitos com seus chips. Algumas aplicações ainda são apenas conceitos e não funcionam na prática.

Abaixo, Amal fala um pouco mais sobre seu trabalho:


Conclusão

O vídeo foi uma demonstração de um microempresário a respeito do seu aparelho, um microchip que se comunica com aparelhos de celular. Nada tem a ver com nenhuma suposta imposição do Governo!